Há alguns meses foi anunciado o Whatsapp Pay, o sistema de pagamento do aplicativo de mensagens mais famoso do mundo. Contudo, apesar dele já estar operando em vários países, aqui no Brasil ele ainda está caminhando a passos lentos. 

Isso porque assim que foi feito o seu anúncio o Banco Central suspendeu o serviço alegando questões de implementação e segurança. Desde então o Facebook (dono do aplicativo) e o BC veem realizando acordos e negociações para colocar a novidade em operação. 

Apesar de não haver uma previsão para o sistema entrar em funcionamento oficialmente, ao que tudo indica isso deve ocorrer ainda em 2020.

Mas afinal, quais as vantagens do Whatsapp Pay?

O Whatsapp Pay já está disponível para usuários de dispositivos Android e iOS de outros países. A grande proposta desse novo recurso é a possibilidade dos usuários (sejam eles de contas pessoais ou comerciais) enviarem e receberem dinheiro através da ferramenta. 

De acordo com o Facebook, o objetivo é facilitar a realização de transações bancárias entre os usuários. A novidade chega em um momento muito oportuno, uma vez que o volume de compras e pagamentos online cresceu drasticamente nos últimos meses. 

E entre as vantagens que ela promete trazer estão: 

  • Grande gama de parceiros, como Nubank, Banco do Brasil, Sicredi e Cielo;
  • Proteção com várias camadas de segurança, incluindo um PIN e até mesmo biometria nos dispositivos que tiverem essa tecnologia;
  • Sem taxas pelo Whatsapp Pay para consumidores e pessoas físicas. No entanto, os parceiros poderão cobrar taxas e encargos;
  • Suporte 24 horas para empresas que utilizam o Whatsapp Business;
  • Empresas poderão solicitar e receber pagamentos no crédito e débito de forma ilimitada;

Expectativas para o Brasil

O Whatsapp Pay já chegou no Brasil dando o que falar por conta da suspensão do Banco Central. No entanto, ao que tudo indica todas as complicações que tinham sido apontadas pela instituição financeira já estão sendo resolvidas e em breve teremos o recurso operando no país. 

E o que podemos esperar dessa novidade? 

No caso dos comerciantes que utilizarem o recurso, principalmente com cartões de bandeiras da Cielo, é preciso estar preparado para arcar com as taxas. Isso porque de não haver cobranças de encargos de pessoas físicas, no caso de empresas haverá uma taxa fixa de 3,99% para cada transação. 

Os parceiros também poderão cobrar taxas adicionais dos empreendedores. A Cielo, por exemplo, tem uma taxa que pode variar entre 2,39% e 4,99% por transação, de acordo com o seu site. E esse é um detalhe que as empresas e empreendedores precisam ficar atentos. 

Além disso, transações feitas de pessoa física para pessoa física poderão ser feitas apenas com cartão de débito. Também haverá um limite de R$ 1.000 por transação e apenas 20 transações poderão ser feitas por dia. 

Mas, importante ressaltar que no casso de contas pessoais haverá também um limite global de R$ 5.000 por mês.

Provavelmente a ferramenta irá sofrer várias atualizações assim que ela for lançada aqui no Brasil. Então vale a pena já se preparar para esse recurso e já se preparar para novidades. 

Aproveite para seguir a Techlise no Facebook e fique por dentro de mais dicas e tendências sobre o setor de tecnologia. 

Comments are closed.

Que tal ser o primeiro a receber nossos conteúdos sobre tecnologia?

Receba nossos conteúdos em 1ª mão.